<div style='background-color: none transparent;'><a href='http://www.rsspump.com/?web_widget/rss_ticker/news_widget' title='News Widget'>News Widget</a></div>

Excelência em Gastronomia - Estou de volta. Finalmente, após dois anos em São Paulo, numa hercúlea tarefa familiar e já tendo retornado a Fortaleza há mais de seis meses, senti novamente o prazer de sair por minha Cidade e curtir os prazeres gastronômicos que ela propicia (e muitos eu desconhecia, confesso).
Graças, principalmente, ao Twitter e outras engenhocas tecnológicas (Gadgets e Apps), onde conheci pessoas e locais interessantes da Capital do Ceará, nos úitimos meses.

Tudo começou quando resolvi mapear os bons endereços gastronômicos de Fortaleza, o mesmo que já fizera na bela Moema, em São Paulo, quando o tempo permitia. Confesso que fui relutante, mas aos poucos fui sendo surpreendido com locais excelentes. Municiado dos meus Gadgets prediletos (Iphone e Ipad) e usando o o Gowalla, comecei a cadastrar as melhores casas que passei a frequentar.
Depois, troquei o Gowalla pelo Foursquare. Uma ferramentinha bem interessante, app que mapeia amigos, locais, marcos e restaurantes de todo o mundo, funciona ainda melhor que o Gowalla, além de estimular uma sadia competição.
Nesse ínterim, das inúmeras pessoas interessantes e que também cultivam os mesmo prazer que eu, faz-se necessário citar dois gourmets e tuiteiros, a quem já chamo com enorme prazer, de amigos: André Linheiro e Edson Ferreira, que além de profundos conhecedores, são dois bon vivants e excepcionais companhias.

Na semana passsada, a convite do André, estive numa harmonização deliciosa no Restaurante Misaki, de Deda Cardoso, um dos nossos espaços que vem levando a alta gastronomia a sério em Fortaleza, com uma impecável consultoria do amigo Bosco Couto. Dizer que não fiquei surpreso e encantado seria um equívoco. Para quem, como eu, mistura poesia e gastronomia desde o amor à primeira vista com a literatura (vide París é uma Festa de Hemingway e Monsenhor Quixote do Graham Greene), La Joie de Vivre é uma máxima que há de ser constante, e sempre me parecia ser uma lacuna em minha terra natal. Ledo engano, não é mais.
A Chef Louise Benevides que não me deixa mentir. Lá no mencionado jantar, sequer seria necessário frisar que minha conterrânea detém o Grand Diplôme de Le Condon Bleu. As iguarias servidas, num amálgama espetacular de sabor, aromas e cores, já atestavam isso melhor do que qualquer outro emblema.
Fiquei feliz. Não apenas pelos novos amigos que fiz, como o André e o Edson e tantos outros que conheci de há pouco e se fosse citá-los todos não caberiam aqui (e me permitiria pecar por alguma indesculpável omissão), mas em não me sentir só. Acho que finalmente, Fortaleza está à altura da alta gastronomia. Já temos público e empreendedores ao nível desta mútua necessidade. A foto abaixo mostra um pouco do agradável espaço à disposição dos convidados no excitante enviroment do Misaki:



O Misaki, aliás, poderia ter sido algo isolado em minha peregrinação gastronômica por Fortaleza, mas a inuguração do Medit, especializado em comida mediterrânea com toques de elementos regionais não me deixaram mais em dúvida. Lá, além do capricho do Chef francês Bernard Twardy e da competência de Fernando Barroso, o local possui a adega mais aconchegante que já me permiti em toda Fortaleza. Um local reservado que convida a todos os prazeres que os vinhos permitem, desde a introspecção até a celebração com poucos convivas. A foto do citado local, acredito, já diz tudo:



Desta forma, vos confesso, amigos leitores, que já não vejo com tanta saudade a distante Sampa, querida e amada São Paulo. Em minha bela Capital alencarina, já temos nossas iguarias e prazeres. Chefs tão bons quanto os de lá, cardápios e adegas idem. E aqui, bem perto temos o mar. E como sempre digo neste meu universo anômico, se há mares, se amares, o céu é o limite.

Post Scriptum: Esta semana, teremos Prazeres da Mesa, em Fortaleza. Imperdível!

Siga-nos também no Twitter

6 comentários

  1. Amigo Emerson!

    Que texto maravilhoso!
    Retrata a realidade gastronômica da nossa maravilhosa cidade alencarina!

    Grande abraço de Edson e Patrícia

  2. João Paulo disse:

    Estaria surgindo mais uma nova habilidade do nosso amigo Emerson??? Acho que agora ele achou o tema ideal, ao misturar duas de suas maiores paixões: A gastronomia e a escrita! Conheço os dois locais e confesso que o texto consegue reproduzir fielmente aquilo que as casas oferecem! Quem venham os próximos textos e dicas!

  3. olga maria disse:

    Emerson:Parabéns pela iniciativa e excelente qualidade do texto,muito bem elaborado e sempre que possível estarei por aqui para apreciar as atualizações.Espero que você continue com esse lindo trabalho.Sucesso!

  4. Bosco Couto disse:

    Grande Emerson, primeiro parabéns pelo texto e segundo obrigado pelas referências, ao Misaki e a mim. Vindo de você que conhece e é um apreciador da boa gastronomia é um grande elogio. Continue escrevendo, ser autoral nem sempre é fácil, mas vale a pena. Um abraço grande

  5. Anônimo disse:

    Mto maneiro Emerson, sentir através de sua crônica que nossa cidade credencia-se dia-a-dia como pólo gastrômico nordestino e brasileiro... Tive a oportunidade de conhecer as dependências do Misaki(restaurante q citas com louvor no seu texto) ao lado do Deda e o que vi vem de encontro com suas palavras... Viva viva Fortaleza!

    Régis Ponte

  6. Emerson disse:

    Obrigado a todos vcs amigos!
    Voltem sempre, fico feliz em conhecer voc6es todos e também tê-los como leitores!
    abcs anômicos :)

Deixe um comentário


Comentem as matérias, façam sugestões, elogios ou mesmo reclamações, troquem idéias, este é o lugar para opinar!

Os comentários não serão respondidos por email, só aqui mesmo; se quiser saber se alguém respondeu ao seu comentário, inscreva-se por email no Feed de comentários do artigo, ou então: VOLTE SEMPRE!