<div style='background-color: none transparent;'><a href='http://www.rsspump.com/?web_widget/rss_ticker/news_widget' title='News Widget'>News Widget</a></div>



Reminiscências - O pôr-do-sol norteia o pensamento, metaforiza o epílogo da existência. O anoitecer, com a vetustez de seu crepúsculo, ocaso do dia. A poesia, acaso das letras. Em quase anoitecendo o primeiro ano de Anomia, vale relembrar alguns fragmentos passados da nossa alma de poeta:

Em 09.10.2002, foi dito aqui:

"Pouco Tempo

Tanto tempo desse amor insensato.
Porque se não é insensato não é amor.
Tanto tempo dessa amálgama de corpos.
Perdi a noção do meu começo e seu fim.
Tanto tempo amando-te sem pensar.
Porque o pensamento não se coaduna.
Tanto tempo sendo tão feliz assim.
Porque sem você eu deixo de ser."

Marcadores:

Deixe um comentário


Comentem as matérias, façam sugestões, elogios ou mesmo reclamações, troquem idéias, este é o lugar para opinar!

Os comentários não serão respondidos por email, só aqui mesmo; se quiser saber se alguém respondeu ao seu comentário, inscreva-se por email no Feed de comentários do artigo, ou então: VOLTE SEMPRE!